Se você quiser cooperar economicamente com este serviço à Igreja...

Ou Itau ag 8552 cc 06984-4 (...) Bradesco ag 093 cc 0172396-0 (...) cpf 696744368-68

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Mt 1.1-17


A genealogia de Jesus, dividida em três blocos de 14 gerações,  é uma história de crescimento e de esvaziamento de Israel.

De Abraão até Davi, temos a formação e o crescimento de Israel, como nação, assim como o cumprimento da profecia de Jacó, de que o governo seria da tribo de Judá (Gn 49.10).

De Davi até ao exílio na Babilônia, tem-se a redução de toda a nação de Israel à duas tribos: Judá e Benjamin.

Do Exílio até Cristo temos da tentativa de soerguimento da nação,  até ao domínio absoluto de Roma, que culminaria com o fim de Israel, passando pela redução da dinastia de Davi ao carpinteiro José.

A nação que foi formada para trazer à história o Deus que se esvaziou, foi esvaziada para que Ele pudesse vir. 

Na genealogia de Jesus tem história de chamamento em Abraão, de bendição em Isaque, de transformação em Jacó. Tem história de reinvindicação de direitos em Tamar,  de inclusão em Raabe e Rute; de restauração em Bate-Seba; de avivamento em Josias; de arrependimento em Manassés; e da fidelidade de Deus à sua palavra, em José, filho de Davi, pai adotivo de Jesus.

Na história de Jesus cabe todo tipo de história, de necessidade e de realidade pessoal.

Na história de Jesus cabe gente de todas as nações; dos mais variados tipos de angústia; e de todo o tipo de pecado pessoal.

Na história de Jesus, todas as histórias são acertadas e encontram um propósito.

Na história de Jesus, todos os seres humanos se encontram, apesar de sua história.

Na história de Jesus, a história divina se encontra com a história humana, e a história humana toma o rumo da salvação.

A história de Jesus é a redenção da História! Graças a história de Jesus, viver faz todo sentido!