Se você quiser cooperar economicamente com este serviço à Igreja...

Ou Itau ag 8552 cc 06984-4 (...) Bradesco ag 093 cc 0172396-0 (...) cpf 696744368-68

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Determinismo 2

Ariovaldo Ramos

Quer dizer que o seu deus sabe o futuro porque determinou tudo?  
Exato, porque não teria outra forma de o saber se não o determinasse.

Então, o seu deus é soberano mas não é onisciente. 
Para nós, soberania e onisciência são a mesma coisa.

Mas, não o são, porque onisciência é o atributo divino que lhe permite saber tudo sobre todos e sobre tudo, em todo e qualquer tempo, sem precisar determinar nada. 
Bem, o nosso deus sabe tudo por ter tudo determinado.

Então, soberania, para vocês, não é a capacidade divina de intervir quando quiser, como quiser, e em que história quiser para o cumprimento do seu propósito? 
Não, para nós soberania é a capacidade divina de determinar tudo o que quiser como o quiser; quem tudo determina não precisa intervir em nada, nem por nada.

O seu deus é o único protagonista no Universo?
Sim, tudo acontece porque e como ele quer que aconteça.

O seu deus, portanto, ou determina tudo, ou não sabe nada?
Não é exatamente, não sabe nada, é que não haveria o que saber.

Eternidade deixa de ser ausência de tempo, para ser um tempo sem fim, portanto, apenas mais uma medida de tempo, também sob determinação?
Dito dessa forma… uma certeza há, tudo será conforme determinado.

Compreendo, mas, isso reduz a eternidade à imortalidade.
Mas, é isso que define a eternidade!

Veja bem, se eternidade  é um tempo que não tem fim, então o seu deus teve um começo, porque, tempo pode até não ter fim, mas, tem de ter começo.
Nunca, nosso deus sempre existiu, nosso deus criou o tempo!

Se o seu deus criou o tempo, ele, também se tornou prisioneiro do tempo, porque nunca sairá dele, ainda que seja quem ao tempo determine.
Não é assim, as criaturas é que nunca sairão do tempo.

O seu deus, consequentemente, não vai julgar nada nem ninguém.
Claro que vai… julgará os vivos e os mortos e todos os que tiverem responsabilidade moral.

Estranho… o seu deus é o único protagonista, determina tudo, mas, julga a todos… como ele lhes imputará culpa ou inocência?
Embora tudo seja determinado, não há na divindade nenhuma culpa, toda culpa está na criatura.



Por que o seu deus determinou dessa maneira, isto é, dando lugar à maldade? 
Imagino que foi porque ele quis, ou porque não havia outro jeito.

Bem, você tem de decidir isso, porque se ele fez assim porque quis, ou ele é mal, ou, para ele, não há diferença entre bem e o mal; o que, se me permite dizer, é muito mal. 
Não sei, isso é um mistério!

Tem outra situação, se ele fez dessa maneira porque não tinha outro jeito, então, além de mal, ele, também, não é todo-poderoso. 
Como assim?

Perceba, se ele fez assim, determinando tudo desse jeito, porque não havia outra possibilidade, então, ele o fez sob algum constrangimento, logo, tem alguém ou algo acima dele que o constrangeu. 
Não acredito que tenha sido assim, a divindade faz por vontade!

Pense, se o seu deus está sob algum tipo de constrangimento, ele está, em certa medida, com isenção moral, mas, você precisa saber quem está sobre ele, quem fez dele um deus coadjuvante.
Não há nada nem ninguém acima dele.

Vejamos, seu deus, embora soberano não é onisciente, pois só sabe o que determina, e isso, por definição, não é saber, uma vez que não há outro protagonista;  ou não é onipotente ou é mal, porque determinou que tudo passaria pela maldade; deflagrou o tempo, mas se tornou prisioneiro, porque precisa do tempo para fazer e para manter o que fez, e sua eternidade é mera imortalidade… o seu deus é um ídolo.
Isso é blasfêmia!

Pois é, isso é exatamente o que eu penso… Isso é blasfêmia!