Se você quiser cooperar economicamente com este serviço à Igreja...

Ou Itau ag 8552 cc 06984-4 (...) Bradesco ag 093 cc 0172396-0 (...) cpf 696744368-68

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Mudança de endereço


Ariovaldo Ramos

"voz do que clama no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas;" (Mc 1.3)

quem está no deserto, e que precisa de voz, de porta-voz? Deus!

Deus mudou de endereço, saiu do templo!

e Lucas, no capítulo 3.1,2, explica o porquê: o templo tinha sido corrompido, haviam dois sumo-sacerdotes: Anás e Caifás - o que é uma contradição de termos.

por definição, só pode haver 1 sumo-sacerdote.

informa Flávio Josefo (escritor e historiador judeu que viveu entre 37 e 103 d.C, no livro: "A História dos Hebreus"), que Anás, esperto e populista, foi, segundo interesse do império, tornado sumo-sacerdote por Quirino, governador romano da Síria, em 6 d.c, sendo demovido em 15 d.c por Valério Crato,antecessor de Pilatos, porém, manteve-se como eminência parda controlando os seus sucessores,

ele colaborou com os tiranos, e consequiu ser sucedido por cada um de seus cinco filhos, e por seu genro Caifás, que, como ele, exerceram o sumo sacerdócio a serviço da tirania.

mas Deus não participa de conchavos e de venalidades, mesmo que jurem estar fazendo em nome dele e pela sua causa. 

e Deus saiu do templo e foi para o deserto.

ecoa aqui a fala do Senhor Jesus: "nem todo o que me diz: Senhor Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus." (Mt 7.21)

a comunidade da fé, que é uma comunidade de sacerdotes, que só tem a Jesus, como sumo-sacerdote, tem de denunciar a todos os que, dizendo agir em nome do Senhor, fazem conchavos e praticam a venalidade, atraiçoando a causa da cruz.

eles estão vazios, como vazio ficou o templo quando Deus mudou de endereço, e tudo que eles fazem não tem sentido algum, como sem sentido ficaram todos os rituais do templo, porque Deus não estava mais lá para apreciá-los ou recebê-los.

a comunidade da fé tem de enfrentar aos impostores, porque eles não têm o amparo da Trindade.

o Cristo não poderia andar pelos caminhos que o Israel, de então, tinha para apresentá-lo ao mundo.

era o caminho do conchavo com os romanos, com os donos do poder; o caminho da politicagem, e, mesmo os libertários, estavam em busca de interesses particulares.
   
esses não eram caminhos direitos:

os zelotes (partido da luta armada contra os invasores) escolheram a violência contra os invasores; o caminho de Jesus é o da não violência (Mt 5.39).

os fariseus (partido ortodoxo) escolheram a complacência com os dominadores; o caminho de Jesus é o da denúncia (Jo 18.22,23).

os saduceus (partido heterodoxo dos sacerdotes) escolheram a cumplicidade com os opressores; o caminho de Jesus é o do confronto (Lc 18.31,32).

os publicanos (colaboracionistas de Roma) escolheram o serviço aos tiranos; o caminho de Jesus é o do serviço aos oprimidos (Mt 11.2-5), como reação e denúncia aos pretensos senhores do poder (Mt 20.25).

e os essênios (partido fundamentalista) escolheram o caminho de fuga, esconderam-se nas cavernas; o caminho de Jesus é o de iluminar o mundo pela vida, mensagem e pelas boas obras, e de resistir à perseguição por causa da justiça (Mt 5.10-16).

aqueles não eram caminhos direitos, porque não eram caminhos de Deus.

o salvador não poderia apresentar-se por meio de nenhum daqueles  caminhos, se quisesse salvar o mundo (Jo 3.17)

o messias tem uma mensagem de reconciliação para todos, mas só anda pelo caminho de Deus; o caminho da Trindade é o de "evangelizar os pobres, proclamar a libertação aos cativos e restauração de vista aos cegos, de por em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor" (Lc 4.18).