quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Imitando a Paulo

Numa vez...

Oi Paulo, como vai?
Bem, meu irmão, bem...
Estava lendo sua fala aos coríntios: "Sigam o meu exemplo, como eu sigo o exemplo de Cristo" (1 Cor 11.1). O que você quis dizer?
Eu espero ter dito: Façam como eu, imitem a Cristo!
Ah! Eu desconfiava... É que, na minha época, tem um pessoal fazendo discípulos deles, e eles dizem estar baseados na sua fala.
Não, meu irmão, o Senhor e Mestre é Cristo! É a Ele que devemos imitar!
Diga a esses irmãos para me lerem melhor. Eu sempre ressaltei a centralidade de Cristo. Nunca me passou pela cabeça a possibilidade de alguém colocar-se entre qualquer pessoa e Cristo. Cristo é quem deve ser imitado. O que está acontecendo na sua época?
Paulo... É melhor eu não lhe contar... Só aumentaria o seu sofrimento!
Certo, meu irmão, cada geração é responsável por si. Relembre a meus irmãos o que eu disse aos filipenses. Paz!
Será feito! Paz!

É Paulo, tinha razão, a gente não deve se contentar com uma vida medíocre, a gente deve desejar ser como Jesus de Nazaré, o Cristo - "Em Jesus de Nazaré, a gente vê Deus como é, e, a gente, como a gente deve ser!"

É isso! Nossa leitura da Bíblia deve ser para conhecer Jesus, para imitá-lo, e nossa oração, ao Pai, para que o Espírito Santo nos leve a, no dia a dia, imitar a Jesus: que bebia e comia o fazer a vontade do Pai.

Eis as Palavras de Paulo aos filipenses: "Nós adoramos a Deus por meio do seu Espírito e nos alegramos na vida que temos em união com Cristo Jesus em vez de pormos a nossa confiança em cerimônias religiosas como a circuncisão. É verdade que eu também poderia pôr a minha confiança nessas coisas. Se alguém pensa que pode confiar nelas, eu tenho ainda mais motivos para pensar assim. Fui circuncidado quando tinha oito dias de vida. Sou israelita de nascimento, da tribo de Benjamim, de sangue hebreu. Quanto à prática da lei, eu era fariseu. E era tão fanático, que persegui a Igreja. Quanto ao cumprimento da vontade de Deus por meio da obediência à lei, ninguém podia me acusar de nada.

No passado, todas essas coisas valiam muito para mim; mas agora, por causa de Cristo, considero que não têm nenhum valor. E não somente essas coisas, mas considero tudo uma completa perda, comparado com aquilo que tem muito mais valor, isto é, conhecer completamente Cristo Jesus, o meu Senhor. Eu joguei tudo fora como se fosse lixo, a fim de poder ganhar a Cristo e estar unido com ele. Eu já não procuro mais ser aceito por Deus por causa da minha obediência à lei. Pois agora é por meio da minha fé em Cristo que eu sou aceito; essa aceitação vem de Deus e se baseia na fé. Tudo o que eu quero é conhecer a Cristo e sentir em mim o poder da sua ressurreição. Quero também tomar parte nos seus sofrimentos e me tornar como ele na sua morte, com a esperança de que eu mesmo seja ressuscitado da morte para a vida.

Não estou querendo dizer que já consegui tudo o que quero ou que já fiquei perfeito, mas continuo a correr para conquistar o prêmio, pois para isso já fui conquistado por Cristo Jesus. É claro, irmãos, que eu não penso que já consegui isso. Porém uma coisa eu faço: esqueço aquilo que fica para trás e avanço para o que está na minha frente. Corro direto para a linha de chegada a fim de conseguir o prêmio da vitória. Esse prêmio é a nova vida para a qual Deus me chamou por meio de Cristo Jesus. Todos nós que somos espiritualmente maduros devemos ter essa maneira de pensar. Porém, se alguns de vocês pensam de maneira diferente, Deus vai tornar as coisas claras para vocês. Portanto, vamos em frente, na mesma direção que temos seguido até agora. Meus irmãos, continuem a ser meus imitadores." Fp 3.3-17